O mercado ilegal das contas de app de entrega alugadas por brasileiros em Londres

  • 26/07/2019
Brasileiros que vivem em situação legal no país alugam contas de entregador que abriram em apps como Uber Eats e Deliveroo para conterrâneos em situação ilegal; BBC News Brasil investigou esquema.

Thiago*, de 27 anos, chegou ao Reino Unido há menos de um ano com pouco dinheiro no bolso e o sonho de conseguir viver fora do Brasil pela primeira vez na vida. Veio com a intenção de morar e ter um emprego em Londres, mas entrou no país como turista, o que não lhe permite trabalhar legalmente.
Pouco depois de chegar, ele descobriu um mercado clandestino de aluguel e venda de contas de aplicativos de entrega negociado abertamente nas redes sociais, que tem atraído cada vez mais imigrantes ilegais no Reino Unido. "Virou um comércio. Aluguel de conta é o que mais tem", diz.
O brasileiro diz que o mercado de autônomos que fazem entregas de moto ou bicicleta é menos controlado pela imigração britânica e, por isso, oferece menos riscos para quem não tem documentação em dia, como ele.
"Em restaurante que contrata imigrantes pode ser que tenha fiscalização, mas nos aplicativos é mais difícil", afirma Thiago, que atualmente paga 60 libras (o equivalente a R$ 280) por semana para usar a conta de outra pessoa no Uber Eats, aplicativo de entrega de comidas.
A BBC News Brasil mergulhou nesse mercado clandestino usado por brasileiros e outros imigrantes ilegais no Reino Unido para saber como ele funciona.
Identidades alugadas
Pessoas com situação legalizada no Reino Unido - ou seja, que estejam autorizadas a trabalhar - abrem contas como entregadores em aplicativos como Uber Eats, Deliveroo ou Stuart, que estão entre os mais populares no país.
Essas contas são oferecidas para "aluguel" em anúncios colocados em páginas de comunidades de brasileiros e de latinos no Facebook e em grupos no WhatsApp - onde podem ser "alugadas" por pessoas em situação ilegal.
Nessas mesmas páginas no Facebook e nos grupos de WhatsApp é possível anunciar que se está à procura de uma conta - principalmente para trabalhar de entregador em Londres, na Inglaterra, e em Dublin, na República da Irlanda.
Não são apenas os brasileiros que negociam contas de aplicativos de entrega. Apesar de a maioria dos anúncios ser em português, a reportagem identificou também ofertas em inglês e em espanhol em diversas páginas.

Comentários

Nenhum comentário cadastrado

Comentar